10 nov 2018 - 29 set 2019

Curadoria Fernando Cocchiarale e Fernanda Lopes
Lei de Incentivo à Cultura
Mantenedores do MAM Rio Rede D'Or, Petrobras e Techint
Patrocínio PWC
Realização Ministério da Cultura, Governo Federal

Horizontes – A paisagem nas coleções MAM Rio

Para muitos a pintura de paisagem caracteriza-se pela representação de grandes espaços reais (agrícolas, urbanos ou naturais) destinada à contemplação estética – em que o quadro se torna uma espécie de janela, um belvedere. Seus precedentes históricos, entretanto, remontam à pintura italiana da segunda metade do século XIII quando o fundo dourado e plano, de influência bizantina, símbolo da esfera celestial naquelas pinturas religiosas, começou a incorporar ambientes terrestres em que os santos, a Sagrada Família e o próprio Jesus teriam vivido.

Entre os séculos XIII e XIV, a pintura de paisagem começou a conquistar progressivamente um lugar de destaque nos gêneros em que foram divididas as atividades pictóricas até constituir-se, na Holanda do século XVII, um gênero específico.

Ao abandonar a perspectiva em prol da efetiva planaridade da tela, a pintura moderna conseguiu fundar novos sistemas espaciais não mais voltados para o ilusionismo, meta pictórica dominante na pré-modernidade clássica. O foco agora incidia sobre a invenção poética de novas composições espaciais em sistemas alternativos. Era de se esperar que tal ruptura com o espaço perspectivado tivesse revogado o futuro da paisagem na arte moderna. Entretanto, não foi isso que ocorreu. A modernidade conseguiu preservar, modificados, os gêneros da pintura posto que, diferentemente do teor narrativo das telas religiosas e históricas, essas pinturas já celebravam uma visualidade não temática, mundana, típica da autorreferência modernista.

A paisagem sobreviveu renovada no mundo moderno, porque se tornou um ponto de inflexão de sua própria história. Entre seus primórdios, evocados por meio do suporte retangular horizontal e pelo transbordamento poético e multimidiático por ela experimentado nas últimas seis décadas de produção contemporânea, a paisagem seguiu seu curso.

Para mostrar parte dessa história, a curadoria do museu organizou a exposição Horizontes – a paisagem nas coleções MAM Rio, que apresenta uma seleção de obras de nossos acervos produzidas por meio da utilização de diferentes meios e suportes. Os trabalhos expostos formam, portanto, um panorama das transformações da pintura de paisagem desde a modernidade até hoje. Não apenas daquelas no âmbito essencialmente pictórico em que se consagrou como um gênero, mas também daquelas possibilidades transmidiáticas características da produção contemporânea – pintura, gravura, fotografia, vídeo, escultura, objeto, maquetes, ações performáticas e instalações ─, além dos novos pontos de observação do mundo (aéreos, satélites, deslocamentos em novos transportes humanos, etc.) decorrentes da expansão tecnológico-científica.

Trata-se de uma mostra que não foi concebida como um mero agrupamento ou soma de paisagens independentes umas das outras, já que seu objetivo é o de constituir uma rede de repertórios icônicos e indiciais cujo conjunto esboça um panorama da arte da paisagem.

Fernando Cocchiarale
Fernanda Lopes
Curadoria

 

Artistas na exposição

Aldo Bonadei
Alex Flemming
Alfredo Ceschiatti
Alfredo Volpi
Anna Bella Geiger (até 11 de maio de 2019)
Antonio Bandeira
Bob N
Botner e Pedro
Brígida Baltar
Caetano de Almeida
Cardosinho
Carlos Martins
Carlos Scliar
Chico Cunha
Cícero Dias
Cláudio Fonseca
Cláudio Tozzi
Daniel Murgel
Daniel Toledo
David Cury
Eduardo Coimbra
Emeric Marcier (a partir de 21 de maio de 2019)
Ernesto De Fiori
Fábio Carvalho
Farnese de Andrade
Flávio Shiró
Iberê Camargo
Ivan Freitas
Ivan Grilo
Joana Traub Csekö
Jorge Duarte
José Bechara
José Pancetti
José Resende
Laercio Redondo
Laura Lima
Leda Catunda
Livia Flores
Lúcia Laguna
Luís Felipe Noé
Luiz Alphonsus
Luiz Philippe
Luiz Pizarro
Luiz Zerbini
Mabe Bethônico
Manabu Mabe
Manfredo de Souzanetto
Marcos Bonisson
Marcos Chaves
Maria Leontina
Osmar Dillon
Paulo Vivacqua
Regina Vater
Roberto Cabot
Sandra Cinto
Thereza Miranda
Thereza Simões
Tomie Ohtake
Victor Arruda
Waltercio Caldas
Wanda Pimentel
Ynaiê Dawson


  Av. Infante Dom Henrique, 85
Parque do Flamengo - Rio de Janeiro

  (21) 3883-5600

  atendimento@mamrio.org.br