14 set 2019 - 12 jan 2020

Curadoria Carlos Vergara
Lei de Incentivo à Cultura
Mantenedores do MAM Rio: Ternium e Petrobras
Apoio: Klabin, Consulado da França no Rio / Instituto Frances, Atlântis, AlterLabs e CWeA
Secretaria Especial da Cultura, Ministério da Cidadania, Governo Federal

Carlos Vergara – Prospectiva

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro apresenta a mostra Prospectiva – Carlos Vergara, que mapeia, sobretudo, a produção do artista das últimas duas décadas. Com curadoria do próprio artista, a exposição combina obras de sua autoria, pertencentes ao seu acervo com excertos de textos escritos por curadores e críticos de arte que vêm acompanhando a trajetória poética do artista durante esse período. Para ele, no entanto, não se trata de uma retrospectiva que avalia ocorrências já sedimentadas em seu processo criativo. Ao contrário – e o título da mostra nos indica –, para o artista, o material exposto segue sendo um desafio poético atual, posto que articula o presente e o futuro de sua produção.

Carlos Vergara nasceu em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, em 1941. Após viver em São Paulo, no início da década de 1950, mudou-se para o Rio de Janeiro, cidade em que floresceu como um dos artistas essenciais das vanguardas neofigurativas brasileiras da passagem dos anos 50 para os 60.

O Rio vivia, então, seus últimos anos como Capital Federal, função perdida em 1960 para Brasília. Ainda assim, a antiga capital possuía uma vitalidade cultural impar. Nas artes, o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, recém-inaugurado naquela ocasião, tornou-se um dos epicentros das vanguardas e do experimentalismo no Brasil. Aqui foram lançados, por exemplo, o neoconcretismo (1959), a nova figuração (1965) e a nova objetividade brasileira (1967), movimentos referenciais para a renovação da arte produzida no país. Podemos afirmar que a história da produção de vanguarda brasileira nos anos 50 e 60 é inseparável da história do MAM Rio. Consequentemente, tal história deve e pode ser potencializada nesta e em outras exposições com perfil semelhante.

Nesse sentido a curadoria do MAM Rio organizou, no terceiro andar, uma sala complementar, formada por obras pertencentes ao acervo do museu e à coleção Gilberto Chateaubriand MAM Rio, realizadas nos primeiros anos da trajetória poética de Carlos Vergara, ausentes da Prospectiva sob sua curadoria. O entrecruzamento desses dois conjuntos de trabalho permitirá ao visitante do museu uma visão panorâmica da obra de um pioneiro da arte contemporânea brasileira.

Fernando Cocchiarale
Fernanda Lopes
curadores


  Av. Infante Dom Henrique, 85
Parque do Flamengo - Rio de Janeiro

  (21) 3883-5600

  atendimento@mamrio.org.br